Make your own free website on Tripod.com

 

 

Nocomment:

 

Franziska, Tom e René

 

 Discografia:

 

"Project-X" Tape 1989

 

 

"Insanity" Tape 1990

 

 

"Genetics I" Tape 1990

 

 

 

"Genetics II" Tape 1991

 

 

"Harmony" EP 1992

 

 

"Drawback Infect" Cd 1993

 

 

"Eyes" Cd 1994

 

 

"Screen" Cd 1995

 

 

"Love in Chains" Mcd 1998

 

 

"Bondage" Cd 1998

 

 

"Painkiller" Dcd 1999

 

 

"I Won't Cry" Mcd 2001

 

 

"Underwater Tales" Cd 2001

 

 

"Little Boy" EP 2001

 

 

"It's Not Too Late" EP 2002

 

 

"Best of 1992-2004" Dcd 2002

 

 

  Compilações:

 

- Psyquil Sampler

- Unter Den Brucken

- Random Relations

- Scanning Vol.2

- Sophisticated

- Electronic Youth II

- Elektrauma

- 2 Jour

- Pleasure & Pain vol.1

- Electric Love - A tribute to Depeche Mode

- Undercover Vol.5

- German Classics

- Cover Classics

- World of Synth-pop

- Best of Electronic Music Vol.2

- Cover Classics Vol.2

- Divine 6

- German Tribe Vol.1

- Venusa XX

- Prospective Vol.6

- Gothic Compilation Part XVI

- World of Synth-pop Vol.5

- Wellenreiter in Scwarz

- Cyberlab V3.0

- Elektrauma 6

10 anos de electrónico ecológico

 

 

 

Estão a celebrar 10 anos de existência e são uma das bandas suporte dos Apoptygma Berzerk na The World in Harmony Tour. Podem vê-los ao vivo, em palco, em algumas localidades europeias. São os NoComment, uma banda de Electro alemã, com preocupações ecológicas. Curiosamente o primeiro álbum, de 1992, dos NoComment, intitulava-se Harmony. Começaram com Harmony e estão agora em digressão com Harmony. A Nsi-online conversou com Franzi, Tom e René, via e-mail, antes do início da digressão. Aqui estão as respostas a algumas perguntas que lhes pusemos.

 

 

nsi: Os Nocomment já contam com 10 anos de existência, não nos queres contar a história? Quem fundou a banda e quem são os seus membros?

 

Tom: Começamos em 1989, depois de algumas demo tapes lançamos o nosso primeiro CD “Harmony” em 1992. Separámo-nos em 1995, após o lançamento do nosso segundo álbum “Screen”, porque pretendíamos seguir vias musicais diferentes. O René e eu continuámos nos Nocomment, tendo Franziska integrado a banda em 1996. Desde então foram lançados os álbuns “Bondage”, “Painkiller”, “Underwater Tales” e finalmente o “Best of”.

 

nsi: Acham um “best of” uma boa forma de mostrar ao público o trabalho que os Nocomment desenvolveram durante a sua primeira década de existência?

 

René: Sim, sem dúvida. No CD está incluído material antigo que hoje é difícil de encontrar, bem como temas mais actuais e alguns inéditos. Tivemos imensos pedidos dos fãs nesse sentido e pensámos que 10 anos de Nocomment seria uma boa altura para um “Best of”.

 

Franzi: Uma vez que vamos actuar perante uma grande audiência durante a tour com os APB, este “Best of” é também uma forma de divulgar a nossa música às pessoas que ainda não nos conhecem.

 

nsi: O título do CD é interessante: “1992-2004”. O que os levou a escolher este título?

 

Tom: Queríamos lançar um “best of” que estivesse não só ligado ao passado, como é habitual, mas também ao futuro. Achámos que seria uma boa ideia apresentar uma década inteira de Nocomment e ao mesmo tempo proporcionar, a quem comprasse o CD, o acesso a downloads grátis até 2004. O título do CD resulta dessa ideia. Uma vez que o CD é duplo e contém mais de trinta temas, achámos que a possibilidade de fazer downloads grátis é um verdadeiro bónus.

 

René: Pensámos que numa época em se copiam mais CDs do que aqueles que são efectivamente vendidos, teríamos de oferecer algo mais do que um simples CD com música. Este CD é verdadeiramente inédito nessa vertente. Achámos que não podemos simplesmente compartimentar a utilização de música em computador  e fora dele, tal como as companhias discográficas tentam fazer com as protecções contra cópia. Actualmente está tudo interligado e acho perfeitamente normal que as pessoas tentem arranjar snippets e mp3 das bandas que gostam ou das quais querem conhecer mais. Não pensamos que a protecção contra cópia seja a solução, pensamos sim que a solução é oferecer à audiência um melhor produto e valorizar o seu dinheiro e ligar a nossa música com a nossa aparência na internet.

 

nsi: O que é que podemos esperar deste “best of”?

 

Franzi: O “Best of” contém dois CDs, um com material desde 1996 e outro com coisas mais antigas. Tem mais de 10 músicas que nunca foram editadas, muitos remixes, raridades e é claro todas as músicas próprias de um “best of”. O nosso novo single “It´s not too late” também está incluído. Em cada trimestre até 2004 será disponibilizada, a todos aqueles que comprarem o CD, um faixa para download. Estes downloads serão essencialmente de temas não editados e de previews de faixas de novos trabalhos.

 

nsi: Parte do dinheiro do EP “It´s not too late” será doado às crianças de Chernobyl e também fazem música sem recurso a energia nuclear. Isto quererá dizer que se preocupam com os problemas ecológicos?

 

Franzi: Estávamos a pensar em fazer algo de especial relacionado com o lançamento do “best of”. Uma vez que somos todos contra a utilização de energia nuclear, é perfeitamente natural apoiar a organização “Children of Chernobyl”. Esta organização é dirigida por pessoas credíveis, o que nos dá a garantia de que o dinheiro será utilizado em prol das crianças. Por cada Cd vendido será doado 1 Euro à organização.

 

René: É certo que bandas maiores que a nossa vendem mais CDs, mas tal não é justificação para se ficar de braços cruzados. As pessoas que sofrem em resultado do acidente de Chernobyl necessitam de toda a ajuda possível.

 

Tom: Com a ajuda da Greenpeace Energy mudámos para um estúdio que não utiliza energia nuclear. Estamos muito preocupados com os problemas ecológicos, não somos radicais nem queremos regressar à natureza, mas pensámos que temos a obrigação de nos preocupar com o nosso planeta e, por mais pequena que seja, toda a contribuição é importante.

 

nsi: Acham que há muito mais bandas com preocupações ao nível ecológico?

 

Tom: Existem algumas. Na Alemanha mais de 50% da população é contra a energia nuclear, mas só 1 a 2 % utiliza energia não nuclear... quando as pessoas têm que começar a pagar pelas suas convicções ou quando têm de alterar o seu estilo de vida, normalmente as preocupações com a ecologia são esquecidas.

 

nsi: Os Nocomment e os Echo Image serão as bandas de suporte dos Apoptygma Berzerk na World in Harmony European tour. Como surgiu esta oportunidade?

 

Tom: Soubemos que eles andavam à procura de uma banda de suporte. Estabelecemos contacto e como eles já nos conheciam e gostam na nossa música, foi fácil chegar a um acordo.

 

Franzi: Estamos ansiosos por fazer a tour. Nunca estivemos envolvidos em algo tão grande e será sem dúvida uma oportunidade fantástica para divulgar a nossa música a uma audiência mais vasta. Como também gostámos da música das outras duas bandas, vai ser fantástico.

 

nsi: Muitas bandas electro que antes faziam EBM ou electro mais pesado, estão agora a fazer synth-pop ou techno. Acham que se trata de uma evolução natural ou será uma forma mais fácil de chegar à fama?

 

René. Haha, parece-me uma evolução natural...:-) mas já ultrapassamos essa fase... há muito tempo. Na realidade a maioria das banda EBM têm uma estrutura muito simples, e uma vez que as bandas não podem fazer uma mesma música vezes sem conta, após o terceiro álbum costumam adicionar mais umas melodias diferentes, também possuem melhor equipamento, as pessoas estão mais velhas.... e então a música torna-se mais melódica e suave. È certo que há bandas mais pesadas, que conseguem ser tão pesadas quanto eram no início e que mesmo assim se mantêm interessantes e criativas. Mas a maioria muda de estilo ou faz uma “auto-cópia”, o que me parece ser muito aborrecido. Não me parece que a mudança de estilo de uma banda esteja ligada à vontade de se tornar famosa. Quem faz este tipo de música fá-lo pela música acima de tudo, caso contrário bastaria ir na onda daquilo que estivesse a dar na altura.

 

nsi: Estão a planear a vossa própria tour para breve? Que bandas de suporte escolheriam?

 

Franzi: É demasiado cedo para dizer... antes ainda temos que sobreviver à próxima tour. Existem muitas bandas com as quais gostaríamos de fazer uma tour, quer como banda principal quer como banda de suporte.

 

nsi: Depois do lançamento de “Best of” e da tour europeia com os Apoptygma, quais são os planos dos Nocomment?

 

Tom: Vamos começar a trabalhar em novo material durante a tour para gravá-lo logo a seguir. Esperámos que o novo álbum saia em 2003, mas ainda é muito cedo para se falar nisso.

 

 

Leonel Silva

(Fevereiro 2002)

Tradução: A. Guedes

 

VOLTAR

 

 

AGHAST VIEW

WAVE IN HEAD

Ivory Frequency

Haus En Factor

Crüxshadows

Neuropa

Decoded Feedback

Project X

Glis

Suicide Commando

Flesh Field

NoComment

Cenobita

Pulcher Femina

Kung Fu Trunx

Sabrina

Ice Ages

Technoir

Inertia